Você está aqui: Sala de imprensa Peça “Terra de Livres” será atração turística

Peça “Terra de Livres” será atração turística

Informação para a imprensa – Fundação Presidente Tancredo Neves – Fevereiro/2010


Montagem idealizada por Marcello Dantas e escrita por José Roberto Torero reúne cem atores e proporciona passeio pelas ruas de São João del-Rei.


Outro “presente” que São João del-Rei ganhará no Centenário de Tancredo Neves é a montagem “Terra de Livres”. Inspirada na Guerra dos Emboabas, tem como objetivo ilustrar como o país conquistou a liberdade à custa do trabalho e do sangue da população, ao mesmo tempo em que proporciona um passeio pelas ruas, igrejas e casario da cidade.


O espetáculo foi idealizado por Marcello Dantas, com narrativa de José Roberto Torero e Marcus Aurelius, e direção de Luiz Fernando Lobo, da Companhia Ensaio Aberto, grupo do Rio de Janeiro que desenvolve uma linguagem teatral integrada com a discussão da realidade. A estreia acontece no dia 6 de março, às 21 horas.


“É um espetáculo repleto de história, que mescla teatro, música e dança”, define Marcello Dantas. “Buscamos integrar o patrimônio histórico com o teatro de rua”. O cenário são os fundos da Igreja Nossa Senhora do Pilar, onde bandeirantes e emboabas vestem figurinos inspirados nas estátuas policromadas de Aleijadinho.


Quem conduz o público é um cortejo de tropeiros, maracatu, prostitutas e congado. São acompanhados por uma espécie de carro alegórico, denominado Grizu – em homenagem a um carrinho de procissão de São João del-Rei, dos anos 1930 - idealizado por Dantas e realizado pelos arquitetos Tatiana Durignan e André Wissenbach. Ele dá suporte para as projeções e a iluminação do percurso.


O espetáculo começa na Igreja Nossa Senhora das Mercês, a primeira “estação”, e completa o circuito na Igreja de São Francisco de Assis. “As cenas foram desenvolvidas a partir das características arquitetônicas e históricas de cada uma das estações”, explica Luiz Fernando Lobo. “Traçamos um caminho unindo igrejas do centro histórico e, paralelamente, levantamos alguns dos pontos principais sobre o ciclo do ouro que gostaríamos de abordar”, diz.


Nas paradas em cinco igrejas da cidade, a peça utiliza de projeções, música, dança e circo para narrar os episódios que simbolizam a conquista das diversas liberdades: política, pessoal, espiritual, educacional e econômica.


Os mais de cem atores e figurantes que fazem o espetáculo são moradores da cidade. No núcleo central estão os profissionais oriundos do curso de formação de atores da Companhia Teatral ManiCômicos. “A experiência de troca é rara e muito valiosa para nós”, comenta o diretor assistente Juliano Pereira. Para ele, o projeto irá impulsionar o turismo na cidade.
A direção musical é de Túlio Mourão. “A música do espetáculo é concebida em torno de dois pilares: as manifestações populares, como cantos de trabalho de escravo e ritos afros, e a barroca, que exibe, na região, um riquíssimo acervo de histórias, grupos orquestrais, compositores e peças significativas”, diz o compositor. Destacam-se as participações do grupo Uakti, da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e de grupos e músicos da região especialmente convidados.


Após a estreia, o espetáculo será apresentado pelo menos uma vez por mês ao longo de 2010.


Serviço
Terra de Livres
Duração: 80 min.
Estreia: 6 de março de 2010
Horário: 21h
Local: Igreja Nossa Senhora das Mercês
Patrocínio: Usiminas
Apoio: FIEMG | Governo do Estado de Minas