Você está aqui: Discursos SAUDAÇÃO A BENEDITO VALADARES

SAUDAÇÃO A BENEDITO VALADARES

BELO HORIZONTE – 4/10/1936

“No desempenho dessa altíssima incumbência, V.Exa. vai realizando com descortino e sabedoria, com segurança e equilíbrio, com inteligência e justiça, um governo de que se orgulharão as nossas futuras gerações”

Primeiro discurso de projeção feito pelo vereador Tancredo Neves em homenagem ao governador de Minas Gerais, Benedito Valadares, em Belo Horizonte (4/10/1936)

 

Sr. Governador Benedito Valadares: 


O fortalecimento do princípio da autoridade é, sem dúvida, a pedra angular deste empreendimento de reação e reconstrução de nossas combalidas instituições, que estão a reclamar um travejamento novo, de vigas fortes e maleáveis, capaz de resistir à fúria dos vendavais impetuosos, que ameaçam subvertê-las na noite tenebrosas das ditaduras exclusivistas e absorventes, em que se abismarão a República e a própria nacionalidade.


E V. Exa., Sr. Governador, com aquela aguda penetração dos acontecimentos, que o tem caracterizado, ao promover a pacificação da política mineira, congregando junto à sua autoridade as expressões de real prestígio moral, intelectual e político de nossas alas partidárias, mostrou a sua nítida compreensão da quadra tormentosa que vivemos, e, ainda desta vez, se revelaram as suas insignes qualidades de estadista.


O apelo, que, em hora de feliz inspiração, V.Exa. dirigiu aos mineiros sinceros e bem-intencionados para se confraternizarem em derredor dos ideais comuns de devoção à causa de Minas, foi dos mais notáveis e relevantes serviços que se há prestado ao Brasil, nestes últimos tempos. A salutar repercussão nacional deste importante acontecimento, pela nobreza dos alevantados intuitos que o determinaram, pelo que representa na defesa da ordem e pelo que significa em prol da grandeza do Brasil, não poderá ser negada por quem se proponha a analisar os fatos isento de paixão, de malícia ou de despeito.


A Providência, inspirando o nosso proverbial bom-senso, ao colocá-lo nesta cidadela inexpugnável do civismo mineiro – o Palácio da Liberdade – que V.Exa. tem honrado e enaltecido como os que mais o fizeram, quis incumbir-lhe a missão histórica de consolidar, entre as nossas alcandoradas cordilheiras, a obra revolucionária.


No desempenho dessa altíssima incumbência, V.Exa. vai realizando com descortino e sabedoria, com segurança e equilíbrio, com insuperável dedicação e inigualável espírito de sacrifício, com inteligência e justiça, um governo de que se orgulharão as nossas futuras gerações.


Por tudo isto, Exmo. Sr. Governador, as Câmaras Municipais de Minas Gerais, pelo mais obscuro dos seus presidentes, o da Câmara de São João del-Rei – desta veneranda, lendária e formosa cidade, que não é somente uma sagrada relíquia do nosso passado, mas principalmente uma estupenda realização do nosso presente –, as Câmaras Municipais de Minas Gerais, dizia eu, trazem a sua incondicional solidariedade ao seu benemérito governo e reafirmam a V.Exa., de público, o solene compromisso de se acharem sempre sob o seu comando em todas as pugnas em que houvermos de nos empenhar em defesa da democracia, e de estarem sempre ao seu lado todas as vezes que se fizerem necessárias para o maior prestígio de Minas, dentro do Brasil forte e poderoso.

 

Discurso do Dr. Tancredo Neves, em 1936, pelas Câmaras Municipais de Minas. In: MINAS e o seu pensamento político. Discursos pronunciados na manifestação do Povo de Minas a V.Exa. o Sr. Governador Benedito Valadares, por motivo do congraçamento político mineiro. Belo Horizonte 1936.


Fonte: Tancredo Neves: a Trajetória de um Liberal, de Vera Alice Cardoso Silva e Lucília de Almeida Neves Delgado. Editoras UFMG/Vozes. Rio de Janeiro/Belo Horizonte, 1985. p.286-287