Você está aqui: Clipping Mestre em Articulação

Mestre em Articulação

Jornal “O Tempo” – 28/02/2010


AMÁLIA GOULART


Tancredo Neves viabilizou-se candidato à Presidência da República após muita efervescência política. Ele representava o lado civil do pleito. Disputou com o candidato dos militares, Paulo Maluf. Para conseguir manter a candidatura teve que negociar até mesmo com o regime militar, como confidenciou Ronaldo Costa Couto, que foi amigo e secretário do Planejamento de Tancredo no governo de Minas. "Ele conversou com militares, civis, com a esquerda, centro, costurando sua eleição. Tancredo Neves dialogou com todo mundo. No final, encontrou-se com o presidente (João) Figueiredo. Conversou com quem precisou", disse.


"Ele foi muito esperto. Reunia-se simultaneamente com os militares e escondia isso o tempo todo", afirmou o jornalista e autor de um livro sobre Tancredo Neves, Ramiro Batista.


Quando Tancredo foi internado no Hospital Base de Brasília, no fatídico dia 14 de março de 1985, houve o receio de que os militares pudessem tomar o poder novamente no país. "Quando vi aquela notícia na televisão, peguei o meu revólver (calibre) 32, coloquei na cintura e corri para o hospital. De lá, eu fui para o Congresso. Todo mundo estava armado", contou Genival Tourinho, amigo de Tancredo e que, na época da morte do presidente eleito indiretamente, era deputado federal.


Leia mais em: Mestre em Articulação e Acordo