Você está aqui: Clipping Tancredo Morreu pela Democracia, Afirma Sarney

Tancredo Morreu pela Democracia, Afirma Sarney

Agência Senado – 03/03/2010


"Há homens que dão a vida por um país: Tancredo deu mais, ele deu a morte", discursou o presidente do Congresso, José Sarney, durante sessão solene em homenagem ao centenário de nascimento de Tancredo Neves. Depois de fazer uma retrospectiva da biografia do político mineiro, Sarney contou detalhes da transição democrática brasileira.


Conforme relatou, após ter sido eleito presidente da República, Tancredo foi internado às pressas, na véspera de tomar posse. O político mineiro sabia que o então presidente João Baptista Figueiredo não concordava em empossar seu vice - José Sarney. A preocupação de Tancredo, naquele instante, deixou de ser a própria saúde. A prioridade era devolver a democracia ao Brasil.


- Depois de 51 anos de vida pública, a dor implacável a 15 horas da posse.A internação, a indicação cirúrgica e sua tenaz resistência. Não admite ser operado antes da posse. Aos médicos, resiste, luta, implora: 'Eu peço, pelo amor de Deus: me deixem até amanhã e depois de amanhã façam de mim o que vocês quiserem. Mas eu tenho uma obrigação. É um compromisso que eu tenho. Eu sei, de fonte fidedigna, que o Figueiredo não dá posse ao Sarney' - reproduziu o presidente do Congresso.


Leia mais em: Tancredo Morreu pela democracia, afirma Sarney